Aviação brasileira começa retomada pós-pandemia

Aviação brasileira começa retomada pós-pandemia

Depois de um período em que a queda na malha aérea brasileira chegou a quase 90%, o que resultou em aeronaves paradas, fechamento de bases e negociações para a manutenção de postos de trabalho, a aviação nacional começa a dar sinais de retomada. Ainda que lentamente, o setor vem mostrando uma reação, com novas empresas surgindo, novas rotas sendo anunciadas e oportunidades se abrindo para profissionais do ramo.

Em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, o secretário da Aviação Civil, Ronei Glanzmann, comentou que a expectativa é de, até o final do ano, o país já ter “a recomposição de cerca de 80% dos voos em relação a dezembro de 2019”.  Azul, Gol e Latam têm retomado linhas, inclusive alguns destinos internacionais, enquanto o governo federal editou uma Medida Provisória com incentivos ao setor durante a pandemia, que foi sancionado no início de agosto.

Novas companhias

Neste cenário, ao menos três novas companhias estão surgindo. Em diferentes estágios de desenvolvimento, a Itapemirim Transportes Aéreos, a Nella Linhas Aéreas e a Nossa Linhas Aéreas vêm mobilizando o mercado.

Integrando o grupo Itapemirim, que também conta com uma empresa de transporte rodoviário, a ITA Aviação já prepara a seleção de tripulação, que deve atuar nos modelos A320 já adquiridos pela companhia. Os pilotos serão treinados no exterior e os demais funcionários que farão parte do time de cada vôo serão treinados no Brasil. De acordo com o proprietário do grupo, Sidney Piva, os voos devem ter início em março de 2021, inicialmente em Espírito Santo, Brasília e São Paulo.

Também no primeiro semestre de 2021 deve ocorrer a estreia da Nella. Focada no mercado regional, a empresa deve operar no modelo low cost. Em entrevista ao portal Melhores Destinos, o CEO da Nella, Maurício Souza, revelou que o foco das operações será o Nordeste, mas cidades nas Regiões Norte Centro-Oeste também estão nos planos.

Já a Nossa Linhas Aéreas ainda está em fase embrionária, mas traz uma proposta inovadora. A ideia é ser uma companhia aérea brasileira fundada por trabalhadores e com recursos obtidos por crowdfunding. A idealizadora do projeto é Eliane Silva, executiva e consultora aeronáutica com larga experiência na aviação, com passagens pela FLY Linhas Aéreas, Webjet, POP Linhas Aéreas (que não chegou a operar), WhiteJets e Flyways, onde atuou como Diretora Comercial.

Aviação regional fortalecida

Outro setor dentro do mercado está contribuindo para a retomada: a aviação regional. Apenas em agosto no Rio Grande do Sul, o aeroporto de Caxias retomou as operações regulares com voos da Gol para Guarulhos, com três horários na semana.

Outro anúncio feito durante o mês foi da Total Linhas Aéreas, que deve operar voos para quatro municípios gaúchos, saindo de Santa Catarina e São Paulo, a partir de outubro. As rotas incluem Porto Alegre, Canela, Erechim e Pelotas.

Com tudo isso, novas oportunidades se apresentam, e estar preparado é fundamental. Além dos conhecimentos básicos, é importante se manter atualizado, com treinamentos em dia. Como está o seu currículo?

 

 

Photo by Dominik Scythe on Unsplash

Iniciar conversa
Olá!! Podemos te ajudar?
Powered by